16 de novembro de 2017

Dias assim-assim

Há dias em que nada apetece fazer. Hoje é um deles e o meu espírito é como os versos da canção "Estou bem onde não estou, porque eu só quero ir a onde não vou...."

29 de outubro de 2017

Dia de aniversário - o bolo

Como prometido, deixo-vos a foto do meu bolo.

Uma pirâmide de muffins. 35 muffins para ser precisa, de vários sabores. Todos feitos por mim.

-Muffins de manteiga de amendoim (sem farinha e sem açúcar)
-Muffins de frutos vermelhos (sem farinha e sem açúcar)
-Muffins de chocolates com m&m de manteiga de amendoim
-Muffins de iogurte


28 de outubro de 2017

Dia de aniversário

Este é um post agendado. A esta hora ainda não há bolo, porque vou ser eu a fazê-lo. Tenho uma ideia mas depois prometo mostrar como ficou. Ano passado ficou assim, lembram-se?

E hoje faço outra vez anos. Incrível como o tempo passa. Parece que ainda ontem eu era uma criança.

Não é dia para estar triste ou para estar nostálgica (embora me apeteça). É dia para celebrar o facto de eu ter acrescentado mais um ano à minha vida.

17 de outubro de 2017

Pôr a leitura em dia #6

E nos "entretantos" consegui ler estes livros,


- Fiódor Dostoiévski "A voz subterrânea". Romance/conto russo. Encontra-se divido em duas partes O Subterrâneo e A Propósito da Neve Derretida. Na primeira parte é nos mostrado o subterrâneo mental da personagem principal, a sua consciência. Na segunda parte, são relatados alguns episódios da sua vida e como ele os ultrapassou.



 - Nikolai Gógol "O retrato". Mais um conto russo dividido em duas partes, duas histórias que têm em comum um retrato. Um retrato demasiado realista, demasiado perturbar e que leva à transformação e decadência de quem o possui... Muito interessante.


E por fim,

- Francisco Salgueiro "O fim da Inocência". Ainda estou a digerir. Um relato chocante de uma adolescente portuguesa, aparentemente normal, de boas famílias, mas que às escondidas vive num submundo de sexo e drogas que a levou ao limite sem que os pais desconfiassem. História verídica, contada pela própria. É um "abre olhos" para a vida dos jovens nos dias de hoje, tão diferente de antigamente.

Venham os próximos...

13 de outubro de 2017

Convento de Santa Clara (-a-Velha e -a-Nova)

Lembram-se disto?

E se pudessem visitar o convento de Santa Clara-a-Velha (onde morreu D. Inês de Castro) e depois o convento de Santa Clara-a-Nova (onde está o túmulo da Rainha Santa Isabel)?
Sim, foi o que fiz quando estive em Coimbra durante as minhas férias.

Do primeiro, restam as ruínas, uma vez que no século XVII, as freiras que nele habitavam, mudaram-se para o convento de Santa Clara-a-Nova (localizado num local mais elevado), devido às inundações provenientes do rio Mondego.

Os dois merecem uma visita.

(fotos de Susana Cunha. Direitos reservados)


 Convento Santa Clara-a-Velha









Convento Santa Clara-a-Nova



10 de outubro de 2017

Descobrir mais um pouco da Serra Peneda- Gerês


Nossa Senhora da Paz



Lindoso e os seus espigueiros







Nossa senhora da Peneda





e pelo caminho, paisagens deslumbrantes....




(fotos de Susana Cunha. Direitos reservados)


5 de outubro de 2017

Portugal dos Pequenitos

A minha mãe disse-me que já lá tinha ido em criança. A verdade é que não me lembro.

O Portugal dos Pequenitos fica em Coimbra e pertence à fundação Bissaya Barreto.

Retrata, em ponto pequeno, vários monumentos emblemáticos de todas as regiões de Portugal e também das antigas colónias portuguesas. Podemos encontrar as casas de xisto, a torre de belém (Lisboa), a fonte dos castelos (Braga), a janela do convento de Cristo (Tomar), as igrejas de Santarém, o castelo de Guimarães, etc...

Dentro de alguns dos edifícios é possível encontrar, por exemplo, o museu do traje (que mostra a evolução do traje ao longo dos tempos) e exposições em todos os edifícios das ex-colónias.

Visitem

(fotos tiradas por Susana Cunha. Direitos reservados)






Museu do traje 1

Museu do traje 2

Museu do traje 3

Museu do traje 4







1 de outubro de 2017

Santiago de Compostela


Dizem os entendidos que "quem não vai em vida a Santiago de Compostela que acaba por ir depois de morto"...

Nas minhas férias fui lá de carro. Saímos de Vizela bem cedo e quase 1h30 depois, chegamos.

Num primeiro impacto, o centro histórico de Santiago de Compostela fazia lembrar a zona histórica de Guimarães. Estilo meio gótico meio românico. Muitas igrejas, muitas ruelas, muitos turistas e também muitos peregrinos que haviam feito a pé, o caminho de Santiago. Estive quase 1h na fila para poder entrar na Catedral de Santiago, onde estão os restos mortais do apóstolo São Tiago Maior, o primeiro apóstolo de Jesus Cristo. Daí a cidade também se chamar de Santiago. Não consegui ver a catedral toda porque estava a decorrer a missa e haviam muitas filas. Ora para ver a cripta e o altar, ora para ver os restos mortais de Santiago. Optei por ir ver a urna de Santiago e ali rezar um pouco.

Tive também oportunidade de ver por fora, a universidade de Santiago e vários dos seus edificios.

E já que estávamos em Espanha acabámos por almoçar paella.

(Fotos de Susana Cunha. Direitos reservados)






Fila para entrar na catedral



Urna de São Tiago Maior

Dentro da catedral


Uma das muitas igrejas







Dias assim-assim

Há dias em que nada apetece fazer. Hoje é um deles e o meu espírito é como os versos da canção "Estou bem onde não estou, porque eu só ...